Meu Clube com: Jéssica de Lima - Cidade Clube - O Clube do Esporte

Últimas

Cidade Clube - O Clube do Esporte

O Clube do Esporte

20/01/2017

Meu Clube com: Jéssica de Lima

A nona edição da sessão Meu Clube nasceu em Iacanga, um município de pouco mais de onze mil pessoas na região de Bauru. Jéssica de Lima, hoje é volante do Rio Preto Esporte Clube e conhecida nacionalmente por ganhar o prêmio de gol mais bonito da temporada de 2016, uma espécie de Prêmio Puskas brasileiro para a modalidade mas percebeu seu amor pelo esporte lá atrás com apenas 11 e aos 16 anos enfim saiu de casa para começar sua história no futebol feminino na equipe do Marília Atlético Clube. "Hoje vejo minha carreira bem sucedida, principalmente nesses dois últimos anos onde foram os mais vitoriosos." comentou a camisa 5 do Jacaré que em 2015 fez o gol do título brasileiro em cima do São José. Em 2016 o time ficou com o vice campeonato nacional ao perder pro Flamengo mas bateu o Santos ficando com o título estadual.

Apesar de todo o glamour e destaque que suas conquistas mereciam a modalidade ainda sofre com a desvalorização e a enorme diferença com o futebol masculino "A modalidade ainda é muito desvalorizada, mas mesmo que seja à passos pequenos as coisas estão melhorando. Hoje está bem melhor do que quando comecei." relembra Lima que hoje é volante. Mas nem sempre foi assim, em 2003 a atual volante era meio campista e foi recuada para mais perto da defesa para que uma camisa 10 pudesse atuar. O nome da jogadora era Marta que na época ainda era desconhecida mas hoje acumula cinco títulos de melhor do mundo na bagagem. "Na época ela era muito nova, não era a Marta de hoje mas continua a mesma pessoa humilde e gente boa. Embora ela tenha ficado pouco tempo aqui ela sempre me parabeniza pelas conquistas" 

No início de 2017 a jogadora vestiu o uniforme da comissão técnica e foi para o banco de reservas para ser a preparadora física do Rio Preto na 48ª Copa São Paulo de Futebol Junior. "Foi uma ótima experiência. Os meninos sempre me respeitaram e assim as coisas fluíam bem. No começo alguns poderiam até ter estranhado, mas com o convívio viram que no futebol não tem gênero. Consegui atingir meu objetivo que era deixá-los em condições de jogo e com nenhum atleta lesionado, vejo com um balanço positivo mesmo que a classificação não veio, que era nosso objetivo principal."

Jéssica hoje comanda uma escolinha de futebol voltada exclusivamente para as meninas que já começa a render bons frutos. "Estamos em atividade há 8 anos. O trabalho mesmo com dificuldades é bem feito, em 2016 fomos vice-campeãs estaduais sub 19 e esse ano fizemos a transição de três jogadoras para o profissional." Na escolinha as aulas são de terças e quintas das 14h às 15:30h, para maiores informações falar com ela mesmo pelo telefone: (17) 99161-1704.

Apesar de começar sua carreira como preparadora física e comandar uma escolinha Jéssica ainda garante que não pensa em aposentadoria. "Já pensei muito sobre isso, enquanto me sentir bem e competitiva vou continuar. Sou muito crítica em relação à isso e quero sempre jogar bem, ganhar jogos e títulos, o dia que entrar em campo  não sentir mais essa competitividade aí sim será o fim da minha carreira"

Que essa competitividade dure por muito mais tempo Jéssica...

Wesley Campofredo